Home » Matérias » O que o iPhone e o Apple TV tem em comum?

O que o iPhone e o Apple TV tem em comum?

:: por Redação macmais :: 21/05/2012 :: Deixe um comentário

*por Paulo Brüning (paulobr@me.com)

Ilustração: Suryara Bernardi

Muitos boatos surgiram nos últimos meses sobre uma possível televisão da Apple. Porém, os analistas argumentam que a empresa não lançaria esse tipo de produto, pois a margem de lucro desse mercado é baixa, existem problemas logísticos e de assistência técnica, entre outros empecilhos. Mas tudo isso já foi dito sobre um possível celular da Apple no passado, e hoje temos o iPhone. Então, vamos analisar os rumores que existiam antes do lançamento do smartphone da Apple. Eles se dividiam basicamente em dois: um dizendo que a empresa iria lançar um iPod com tela sensível ao toque e outro sobre ela lançarum telefone. Isso ficou evidente na apresentação do iPhone, quando Jobs separou os três principais recursos do aparelho, apresentando-o como um iPod, um celular e um dispositivo de internet móvel. Enquanto para os dois primeiros ele foi ovacionado de forma entusiasmada, para o último recebeu apenas algumas palmas educadas da plateia. Por quê?

Bem, a resposta é simples, ninguém sabia sobre a possibilidade de internet no celular, nenhum boato foi divulgado sobre isso. E o uso do iPhone hoje é basicamente para usar a internet. Sim, já existiam smartphones que acessavam a Web, mas eles eram extremamente precários e limitados. Foi o iPhone que lançou a internet móvel de verdade. E ninguém havia cogitado isso até o seu lançamento.

Voltemos para a TV da Apple. Os boatos atuais falam apenas de uma aparelho que roda iOS, com internet, aplicativos, jogos, FaceTime, Siri, entre outros recursos vindos dos dispositivos atuais. Para os pessimistas que não acreditam no lançamento, todo argumento termina no Apple TV, pois é possível implementar esses recursos inovadores apenas lançando uma nova versão do set-top box atual. Dessa forma, a Apple não precisaria se preocupar com tamanho de tela, sistema de som e outras características de gosto bem pessoal, mas inovando o mercado a um preço bem mais baixo que um aparelho de TV completo. E nisso eu concordo totalmente! Então, por que estou aqui escrevendo sobre uma possível televisão da Apple? Pelo fato de acreditar que set-top boxes, como o Apple TV, são uma tecnologia transitória, como foi o LaserDisc.

Na CES 2012, que aconteceu em janeiro, muitos fabricantes apostaram em TVs inteligentes, com vários dos recursos que o possível televisor da Apple teria. Realmente, a tecnologia para a maioria dessas funcionalidades já existe, o que falta é uma forma mais inteligente de consumir conteúdo, diferentemente da passividade que o sistema de televisão atual permite.

É preciso analisar que um dos motivos de a Apple entrar para o mercado de celulares estava no fato de que o segmento de tocadores de conteúdo, que a Apple ainda domina com os iPods, diminuía ano a ano. Os celulares tomaram esse mercado. E como – além dos iPods – a Apple possui a iTunes Store, sua loja de conteúdo digital, para ela continuar a vender conteúdo, precisava ter seu próprio celular. Vale lembrar que a empresa tentou colocar o iTunes em um aparelho da Motorola – o que não deu certo, pois, como sabemos, a Apple prefere controlar todo o ecossistema, com hardware, software e serviços totalmente integrados. E talvez esse sejao maior motivo para a empresa entrar no mercado de TVs: continuar a vender conteúdo,com uma experiência de usuário que só ela é capaz de oferecer.

E nós, que acabamos de receber a nossa iTunes Store Brasil e o Apple TV no final de 2011, poderemos acompanhar essa nova revolução mais de perto.

Paulo Brüning é publicitário e fã da Apple desde tempos imemoriais.

Acompanhe a macmais nas redes sociais:

*Matéria publicada originalmente na macmais 70.

Deixe um comentário

 

Publicidade