Home » Resenhas » Programas » Passbook promete facilitar, mas ainda não é assim

Passbook promete facilitar, mas ainda não é assim

:: por Redação macmais :: 25/03/2013 :: Deixe um comentário

Matéria publicada originalmente na macmais 80.

Olha o tíquete virtual!, por Alessandro Salvatori

Uma das principais novidades mostradas pela Apple na apresentação de lançamento do iOS 6 durante a WWDC (Worldwide Developers Conference, ou Conferência Mundial de Desenvolvedores, na sigla em inglês) foi o Passbook, um organizador de bilhetes e cupons integrado ao sistema operacional. Na época, não tinha ficado muito claro para que ele servia. Somente com o passar do tempo é que pudemos perceber o verdadeiro potencial do programa.

Com o Passbook, a Apple pretende mudar o modo como fazemos compras. É nele que você guardará, no futuro, todas as suas passagens de avião, ingressos de cinema e cartões de fidelidade, sem precisar encher a carteira de papéis ou então ficar memorizando números e senhas.

A ideia, é claro, parece ser muito boa, mas ainda precisa amadurecer muito para tornar-se realmente parte do nosso dia a dia (principalmente quando falamos de Brasil, mas voltaremos a este assunto mais adiante). O bom é que cada vez mais empresas adotam a proposta da Apple, tornando-a mais popular.

O ponto forte do Passbook é a interatividade e a capacidade de adaptação conforme a situação. Por exemplo, você faz o check-in do seu voo e, no lugar do cartão de embarque em papel, pode usar o Passbook (algumas empresas aéreas já disponibilizam o serviço). Ao esperar já na sala de embarque, se o portão for alterado na última hora, seu iPhone ou iPod touch lhe informa imediatamente da mudança. Legal, né? O mesmo vale para ingressos de cinema, o que agilizaria muito as filas na bilheteria.

Outro exemplo bem interessante é você passar pela frente de uma loja onde já comprou três vezes e ser avisado de que se comprar algo novamente, ganhará um desconto, ou bônus. Adeus aos adesivinhos de fidelidade que nunca lembramos de levar na carteira. As possibilidades são várias e podem ser ampliadas radicalmente, ainda mais se os boatos da adoção da tecnologia NFC (Near Field Communication, ou Comunicação de Campo Próximo, na sigla em inglês) em um futuro iPhone realmente se concretizarem, com o uso inclusive de cartões de crédito. Explicando rapidamente, o NFC permite que você, apenas aproximando seu iPhone de um outro dispositivo com a mesma tecnologia, envie informações de pagamento sem a necessidade de códigos de barra ou mesmo de passar seu cartão na máquina.

O Passbook é um aplicativo que vem nativamente em todos os iPhones compatíveis com o iOS 6 (3GS, 4, 4S e 5) e no iPod touch de quarta e quinta gerações. Como ele é feito para mobilidade e para estar sempre no bolso, a Apple não o colocou no iPad. Afinal, não se imagina alguém apresentando o tablet como ingresso de cinema ou como passagem aérea.

Apesar de toda a simplicidade aparente do programa, ele ainda é considerado misterioso para a maioria dos usuários. Não há sequer um tutorial explicando como usar o Passbook, apenas uma página de introdução e um botão para baixar softwares compatíveis com a nova tecnologia. Não podemos negar que a Apple merece um puxão de orelhas por essa falha.

E se ele não é muito compreendido nos Estados Unidos e em outros países, imagine por aqui. No Brasil a tecnologia ainda não é muito comum, apesar da Apple fornecer toda a documentação necessária para a implementação do Passbook em aplicativos. Só depende da boa vontade das empresas (inclusive aquelas que já usam o Passbook nos EUA e têm filiais em nosso país) em adotar o formato.

Para quem quiser sentir o gostinho do Passbook (ou é um desenvolvedor querendo criar os próprios passes), existem sites que ajudam nessa missão, como o passkit.com, o passdock.com e o passbookgenerator.com.

Confira agora o nosso tutorial para usar o Passbook no iOS 6.

Acompanhe a macmais nas redes sociais:

Deixe um comentário

 

Publicidade